Conexões Arturianas em Arthuret(Cumbria)- Part 2.


Rhydderch Hael


Rhydderch Hael  Genealogy
Rhydderch Hael Genealogy


As incertezas textuais sugerem que a história da expedição a Arfon e a resposta de Rhun sejam provavelmente apócrifos, a sua criação, deve-se menos a eventos do século VI do que os posteriores propagandistas norte-galeses que, na busca de glorificar os seus próprios reis, retrataram Rhun como um ancestral daqueles reis e como um guerreiro poderoso que poderia travar uma guerra muito além de suas próprias fronteiras e contra figuras cuja fama já pode ter se tornado consagrado na tradição galesa.

A tradição galesa se refere a Rhydderch como um dos reis do norte britânico que lutou contra os primeiros nobres anglo-saxões do reino de Bernícia. A Historia Brittonum descreve-o como um inimigo de vários reis da Bernícia do final do século VI, mas o teatro das guerras entre eles não é identificado. Diz-se que ele se juntou a Urien de Rheged e Morcant Bulc em sua aliança malfadada:

Quatro reis lutaram contra eles, Urien e Riderch [Hael] e Gwallawg e Morcant. Teodorico lutou vigorosamente contra Urien e seus filhos. Durante esse tempo, por vezes o inimigo, por vezes os Cymry foram vitoriosos, e Urien sitiou-os por três dias e três noites na ilha de Ynys Metcaut. Mas durante esta campanha, Urien foi assassinado devido a uma instigação de Morcant, por inveja, porque a sua habilidade militar e de comando superava a de todos os outros reis
—Historia Brittonum, capítulo 63

A guerra contra Bernícia é uma das duas únicas campanhas militares em que Riderch Hael é dito ter-se envolvido, sendo a outra um ataque à corte de Strathclyde por Áedán mac Gabráin, rei de Dál Riata e um companheiro contemporâneo de São Columba, que está registrado nas Tríades galesas como Three Unrestrained Ravagings of the Island of Britain:

…quando Áedán, o Astuto, chegou à corte de Riderch, o Generoso, em Alt Clut; ele não deixou nem comida, nem bebida, nem animais vivos.

Além deste trabalho não há outros textos de apoio para provar a exatidão destes eventos. Porém, em um contexto amplo, não é realmente improvável, uma vez que Alt Clut e Dál Riata eram vizinhos, que tenham lutado muitas vezes durante os períodos pós-romano e medieval. Dál Riata era um relativo recém-chegado à política da Grã-Bretanha e incursões pelo gaels, bem como dos escoceses de Dál Riata eram comumente conhecidas, nas fronteiras dos reinos britônicos, em torno da Muralha de Adriano haviam sido típicas desde o tempo de Vortigern e anteriormente. Além disso, Áedán mac Gabráin é conhecido por ter sido um senhor da guerra particularmente belicoso cujas campanhas se estenderam desde a Pictavia até a Nortúmbria. É tentador atribuir a origem última deste material a corte de poetas de Strathclyde da própria época de Riderch. Uma Tríade menciona o cavalo de Rhydderch, Rudlwyt, significando “Dun-Grey”, enquanto outro fragmento poético dá nome a sua espada de Dyrnwyn, “Punho Branco,” como um dos lendários Treze Tesouros da Ilha da Grã-Bretanha.

Hadrians_Wall_from_Housesteads1_crop
Hadrians_Wall_from_Housesteads1_crop

Além das fontes galesas, o outro repositório principal de informações sobre Riderch Hael é a hagiografia em latim em torno de Kentigern, o santo padroeiro de Glasgow, cuja mais completa “Vida” sobrevivente foi escrita no final do século XII por Jocelyn de Furness, na atual Cúmbria, em nome do Bispo de Glasgow. Tentativas têm sido feitas para identificar possíveis elementos arcaicos e de fato agora parece provável que reúne várias vertentes de tradição muito antiga de Strathclyde, possivelmente originárias dos séculos VII ou VIII. Riderch Hael aparece como “Rei Rederech” e é retratado como patrono real e benfeitor de Kentigern, de quem o santo recebeu terras em Glasgow e sobre as quais fundou o bispado principal da grande região de Strathclyde.

A data da morte de Riderch é desconhecida, embora a Vida de Kentigern coloque a sua morte no mesmo ano da do santo, que de acordo com os Anais galeses, ocorreu em 612, que é ajustado pelos historiadores para 614. Esta data é apoiada por Adomnán que se refere a Riderch como um contemporâneo de São Columba, que morreu em 597. A afirmação de Adomnán de que Riderch não morreu em batalha pode estar correta: o cumprimento da profecia de Columba era a questão importante para Iona e não havia nada a ganhar através da produção de um fim de ficção para um rei cuja vida e morte estavam, presumivelmente, já registrados nas tradições de Glasgow e Dumbarton.

Arthuret_Parish_Church
Arthuret_Parish_Church

As coleções galesas nomeiam a espada de Riderch de Dyrnwyn como um dos assim chamados Treze Tesouros da Ilha da Grã-Bretanha. Quando empunhada por um homem digno e bem-nascido, a lâmina inteira resplandeceria como fogo. Rhydderch nunca relutou em enfrentar qualquer um com a sua arma, o que explica o seu epíteto Hael, mas ninguém jamais ousou tocá-la.


8 comentários sobre “Conexões Arturianas em Arthuret(Cumbria)- Part 2.

Os comentários estão desativados.